TUDO

Um café às nove no Balneário vazio. Exatamente o que não existe. Triste por não mais do que quinze minutos. Perdi-me olhando para o céu. As horas passaram num segundo. Cheguei depois, a pé e bêbado. Saí da linha que eu mesmo tracei. Nada que fugisse do que sempre foi. Depois de tanto tempo procurando o isqueiro, lembrei que há um ano deixei de fumar. Botei tudo pra dentro da mala, tudo o que sempre mantive guardado. E fechei.

2 comentários:

Anônimo disse...

Perder-se também é caminho...mô

www.estripitizese.blogspot.com

Jordanna disse...

"Saí da linha que eu mesmo tracei. Nada que fugisse do que sempre foi. Depois de tanto tempo procurando o isqueiro, lembrei que há um ano deixei de fumar. Botei tudo pra dentro da mala, tudo o que sempre mantive guardado. E fechei."

Simplesmente maravilhoso!!!
Eu sempre me perco...
beijos