ORÁCULOS

Recorro
aos meus oráculos.
Uma taça de vinho,
um pedaço de pão.
Criei expectativas
diante de altos prédios tortos,
mas só visualizei
o que não me foi dito.
Posteriormente percebi
o quanto eu tinha em mãos.
Uma caneta,
um caderno de anotações.
O mundo é o mesmo
onde quer que você se esconda.
O mundo é matreiro,
esperto,
duro,
e você vai por aí
a beber café pela cidade
olhando para os lados iludido
com a ideia de encontrar
algum rosto amigo.

2 comentários:

Thaïs Hameister disse...

ai amor, que saudade...
amo-te ao extremo,
pura e docemente,
como tu mereces,
por tudo que fazes
e por tudo que és para mim e para os que te amam.
Que sorte a minha encontrar-te novamente no longo e tortuoso caminho da vida.
Desta vez para sempre, enquanto durar o nosso amor,
que ao meu ver é eterno,
de outras vidas.
Te amo sempre,
sempre tua,
Amora

poetaeusou . . . disse...

*
eu vou no café,
desculpa, srsrsr,
,
um abraço,
,
*