BALA PERDIDA

Passou a chave na porta. Largou sobre a mesa o celular, a carteira; dos bolsos tirou moedas, comprovantes do Credicard e papéis com números telefônicos anotados. Sentou-se no sofá para tirar os sapatos. Ligou a tevê. Marília não devia ter dito aquilo. Não com aquelas palav...

Um comentário:

Day Rodrigues disse...

fiquei pensando: foi uma palavra perdida? se, sim, pegou no peito, perto do coração?
fiquei curiosa!
=)