MICROCONTO DE UM ASSASSINATO

- Pai, me dá um violão?
- Não vou sustentar vagabundo.

2 comentários:

Beto Guimarães disse...

Esse está ótimo. Pior que tem muita gente que ainda pensa assim em pleno século XXI.

Bruno Villela disse...

Muito legal cara! Tem um microconto de assassinato que escrevi uma vez, era assim:

Peguei o "T" ao contrário como um punhal e cravei no peito dela. E o "amo", escrevi num bilhete que larguei sobre seu coração inválido. Seria brega se não houvesse sangue.